sábado, 15 de julho de 2017

Jordy - 49


Eu não havia feito muitas pesquisas sobre as atividades que faria em Curitiba, apenas vi o que tinha e fui. Quando descobri que existia um passeio de trem, nem quis saber o que era Morretes, era um passeio de trem, oras, pra quem só conhece os trens da CPTM esse passeio soou encantador e não pensei duas vezes, fechei. Até então, pra mim, Morretes era só mais uma cidade turística comum como Curitiba. Santo engano.

Quando ceguei em Morretes tive uma má impressão muito forte com aquele lugar de aspecto abandonado, esquecido, parado no tempo, com a estação caindo aos pedaços e moradias quase em ruinas na beira dos trilhos. Não conseguia imaginar o que teria para se fazer ali, mas aos poucos, fui lembrando de Sertãozinho, cidade de Minas Gerais onde tenho parentes e gosto muito de ir, pura roça onde acordamos com esterco de vaca na porta de entrada da casa. Fazia um paralelo entre as duas cidades e fui percebendo que em muito se assemelhavam em questão de simplicidade. Gosto muito dessas coisas simples e de aspecto rustico, vida sem frescura, simpática e tranquila como Sertãozinho, e, se eu gosto de lá, por que não gostar de Morretes?

Aos poucos fui aceitando e saindo do choque inicial, fui me adentrando pelas ruas de Morretes e me simpatizando cada vez mais com aquele clima que a cidade me proporcionava e com o que encontrava em cada esquina. Pena que eu estava com fome e tive que procurar por comida, com isso não tive muito tempo de apreciar mais como gostaria, mas, se surgir uma nova oportunidade volto FÁCIL pra lá, mato a saudade e aproveito o que me for novidade.

terça-feira, 11 de julho de 2017

UgraFest - 2017

Galera...


Neste último fim de semana estive no Sesc Belenzinho participando do UgraFest 2017. O evento na minha opinião não podia ser melhor, tudo muito bonito e bem organizado, o Douglas e a Dani fizeram um excelente trabalho em parceria com o Sesc e tenho certeza que ninguém saiu de lá falando mal. 

Foi muito bom rever pessoas muito queridas, conhecer pessoas muito legais e fazer algumas vendas e trocas. O evento no geral foi muito divertido, diferente e confortável, quero agradecer aos organizadores pela oportunidade de estar presente no evento expondo meus trabalhos e curtindo tudo de bom que rolou por lá.

Obrigado também a todos que compareceram na minha mesa pra conversar, conhecer meu trabalho e fazer suas compras, fiquei muito feliz com a presença de vocês.

Um obrigado especial para minhas irmãs Aline e Michely que me acompanharam e me ajudaram na mesa nesses dois dias de feira, ao Tainnan e Fernando pelas caronas que ajudaram muito, ao meu tio Vicente, minha tia Solange, minha prima Mylla e minha mãe Sonia pela presença e pelo apoio, a minha prima Andréia e meu priminho Leo pela presença, ao Carlos do canal Papo Zine pela divulgação e por fim, aos vizinhos de mesa Pedro Balboni, Rodrigo Ortiz e Eric Peleias pela companhia.












Valeu Galera, até o próximo evento.
Abraços!


sábado, 8 de julho de 2017

Jordy - 48


Apesar do passeio não ter sido exatamente o que minha mente fantasiou, não me arrependo, foi um passeio muito bom e recomendo à todos que façam assim que tiveram a oportunidade.

O trem sai de Curitiba e desce a serra até a cidade de Morretes e o trajeto leva cerca de três horas. Quando fechei o passeio eu não sabia, mas existem outras opções de retorno para Curitiba sem ser o trem, como por exemplo, as vans, que fazem um trajeto muito mais rápido e menos cansativo, porém, se você reservar o dia apenas para esse passeio recomendo que faça como eu e retorne também com o trem, apesar de se tornar mais cansativo, acredito que valha mais a pena, pois assim pode se aproveitar mais o prazer da viagem pela serra, reforçar as histórias sobre cada ponto citado e ter a sorte que eu tive de na volta poder ver o que na ida talvez não tenha sido possível, como o “vale muito bonito”.

terça-feira, 4 de julho de 2017

Eu no UgraFest


Olá, pessoal. Beleza?

No fim de semana que vem, dias 8 e 9, estarei no UgraFest, evento que acontece lá no Sesc Belenzinho com entrada gratuita para todos que quiserem conferir essa feira de publicações independes bacanuda que a loja Ugra organizou.

Eu estarei lá nos dois dias vendendo e autografando meus quadrinhos e prints pra quem se interessar.
Apareçam por lá e procurem pela minha mesa pra gente trocar uma ideia sem compromisso, ok?

Nos vemos por lá.

Abraços!



sábado, 24 de junho de 2017

Jordy - 46


Me lembro de não ter usado a trava da maçaneta e sim uma travinha que havia fixada um pouco acima dela. Não sei se no desespero da situação não travei direito ou se devido a lastimável qualidade daquela porta a trava não funcionou, mas seja como for, só espero não ter sido motivo de nenhum trauma para o gurizinho.

sábado, 17 de junho de 2017

Jordy - 45


Sabe aquela dor de barriga sem vergonha que ataca na surdina, na maior covardia? Então, fui vítima dela na manhã do terceiro dia.

Estava eu na estação ferroviária aguardando o trem que faria o passeio pela serra até a cidadezinha de Morretes, quando de súbito, fui surpreendido por uma inquietação intestinal violentíssima as quase 7h da manhã, horário em que o trem partiria. O único banheiro disponível para atender centenas de cagões de última hora não estava tão disponível assim quando o requisitei.

Por um instante acreditei que o ambiente fosse algum tipo de relíquia social antepassada mantida em estado natural aberta ao público ou uma simples e antiguíssima latrina mal adaptada aos tempos de hoje, mas não, era o banheiro que a estação oferecia mesmo. O ambiente de no máximo 4m² contava apenas com uma pia mequetrefe com torneiras sem água, um mictório coletivo mal localizado e com duas cabines se deteriorando que por sinal estavam ocupadas no momento em que eu mais precisava delas, mas no primeiro sinal de disponibilidade, de súbito me adentrei e ali me entreguei às forças da natureza.

Minha sorte ao me libertar da “masmorra” foi que eu me adentrei a ela com um copo d’água que saciava minha sede minutos antes, assim, pude ao sair lavar minhas mãos na pia que não me beneficiava com esse direito e no limite do tempo pegar o trem.

Saí acreditando piamente que aquele banheiro decadente era o pior que já havia visto e que viria a ver na vida, mas, essa crença caiu por terra quando entrei no da estação de Morretes.